Rúben Amorim espera Vizela forte, mas quer ser mais agressivo e vencer

Observador   15/01/2022 20:22

O treinador Rúben Amorim disse este sábado esperar um Vizela mais forte do que na primeira volta da I Liga de futebol, mas que o Sporting precisa de vencer, numa fase da época em que perdeu a liderança.

“Espero um jogo difícil (…). o Vizela está melhor, está mais habituado ao momento, não é a estreia na I liga, fizeram bons jogos, cresceram com o tempo, e o Sporting também cresceu, jogamos de forma diferente em certos aspetos”, começou por dizer o treinador dos ‘leões’.

Na conferência de antevisão do jogo de domingo em Vizela, da 18.ª jornada da I Liga de futebol, Rúben Amorim assinalou a importância da vitória, mas voltou a abordar a necessidade de a equipa jogar melhor e ser mais agressiva.

“Jogar melhor, aproveitar melhor as oportunidades, não deixar tanto os adversários chegarem à nossa área, relembrar que sofremos tantos golos em duas jornadas do que no resto das outras jornadas, e isso são sinais que temos que olhar”, adiantou.

Questionado em relação a qual a equipa mais forte neste arranque da segunda volta, num momento em que o Sporting perdeu a liderança da I Liga na última jornada, depois de sair derrotado em casa do Santa Clara (3-2), Rúben Amorim disse ser o FC Porto.

“A equipa mais forte é o FC Porto. Está em primeiro, marca muitos golos, sofre poucos e vive um excelente momento, como vimos no fim de semana [venceu fora o Estoril Praia, por 3-2]”, considerou.

O técnico leonino admitiu que é “desconfortável” não estar na liderança, uma posição a que a equipa campeã nacional já não estava habituada.

“É desconfortável (não liderar). Não pelo último resultado para o campeonato, porque isso pode acontecer, nós não controlamos o resultado, mas toda a gente acabou o jogo e sentiu que poderíamos ter dado mais (…). É uma situação nova, de há muito tempo, o ano passado desde a sexta jornada estivemos em primeiro, temos de pensar jogo a jogo, muito ainda vai acontecer neste campeonato. É manter o pensamento jogo a jogo, se o ano passado com 10 pontos não estávamos tranquilos, com três pontos de avanço do primeiro e quatro do terceiro, temos é de pensar em vencer o Vizela”, disse.

Na conferência, Amorim abordou também o mercado de transferências, mas sem confirmar a possibilidade de Marcus Edwards (Vitória de Guimarães) rumar aos ‘leões’ nesta janela de mercado, ou para uma eventual saída de Tabata.

“Os jogadores que vierem são já a pensar no presente ou no futuro, não sei se vem alguém, o único que penso que desmentimos foi o Vitinha, o avançado do Braga, para não haver mal-entendidos que já houve no passado”, referiu.

Amorim insistiu não comentar entradas ou saídas, mas disse ter uma ideia clara do que quer, independentemente de ganhar ou perder um jogo, e que isso é o principal, continuando “a olhar para a formação, para jogadores com fome e talento”.

“Estou muito satisfeito com o nosso grupo (…). Dá-me completa garantia para o resto do campeonato”, acrescentou.

Para domingo, Rúben Amorim revelou ainda que não contará com Porro, lesionado, e que Jovane Cabral só começou agora a incorporar alguns exercícios, mas que é um jogador que é preciso gerir, embora faça falta pelas suas características.

O jogo entre Vizela, 12.º classificado, com 16 pontos, e Sporting, segundo, com 44, realiza-se no domingo a partir das 18:00, no Estádio do Vizela, e terá arbitragem de Fábio Veríssimo, da Associação de Futebol de Leiria.

Cookie Settings